• cadiz@cadizturismo.com.br
  • (41) 3018-4214

O que fazer numa viagem aérea com conexão demorada?

3750e6_ed2eb58e6ca54eb9bf0c522020ebf7fe-mv2

 

Leia na página da Bolsa de Valores: http://www.bolsadevaloresdigital.com.br/#!O-que-fazer-numa-viagem-aérea-com-conexão-demorada/cem3x/574e01ac0cf2c85df84c070a 

Aproveitei uma experiência recente para escrever sobre o tema, já que é um assunto muito perguntado pelos meus clientes na agência.

Nem sempre as melhores tarifas, estão atreladas às melhores conexões. Isso você já sabia, certo? Porém acredito que o mais importante é você saber o SEU PERFIL  de viajante antes de encarar a compra do seu bilhete com a demora entre um voo e outro. Será melhor pagar mais caro e ir num melhor voo ou encarar com bom humor essa experiência?

Em viagens nacionais, dependendo da conexão, pode ser que não se tenha muito o que fazer, além de aguardar. Smartphone (e carregador), bateria extra, livro ou revista em bagagem de mão, podem ser bons companheiros para passar o tempo. Duas ou três horas são normais para uma conexão no Brasil, mais que isso, dependendo da distância entre o aeroporto e os atrativos de uma cidade, passear pode ser uma alternativa para não ficar mofando na cadeira de uma sala de embarque. Lembre-se que a conta sempre será invertida: quanto tempo eu tenho para estar de volta ao aeroporto? (Importante: o trânsito e algum imprevisto no meio do caminho podem arruinar sua “aventura”)

 Em viagens internacionais vou dividir em duas situações: as com conexão em trem e as com conexão em avião.

Vamos considerar que as de trem, se a estação fica no centro da cidade (o que ocorre em muitas capitais da Europa), dá para dar uma voltinha com segurança se a cidade tiver um porte médio, ou você elencar um ou alguns atrativos próximos antes da sua viagem.
Considere também deixar a bagagem num guarda volumes e o custo disso. Toda viagem demanda planejamento e quanto mais você planejar e estudar o local que você está indo enquanto tem tempo antes da viagem, melhor você aproveitará. Essa “voltinha” pode ser que renda uma próxima viagem com mais tempo para esse destino, ou também, dependendo do interesse, pode ser considerada uma cidade “vista” e talvez não entre mais nos seus planos futuros.

As de conexão em avião, dependerão de vários fatores: distância (a maioria dos aeroportos de categoria de voos internacionais ficam longe do centro da cidade), transporte (se o trânsito é caótico, se o custo é alto ou você depende de um meio de transporte que não te dê segurança, não faça!) se é início ou final da viagem (início você tem toda a ansiedade e a vontade conhecer tudo, no retorno pode ser que o cansaço atrapalhe e investir num hotel de trânsito pode ser uma solução para descansar – porém esse custo não será igual a uma passagem mais cara e com voos melhores?) e interesse (tenho interesse em conhecer determinado lugar, ou revisitar por algumas horas? É uma oportunidade?)  A conexão será no Brasil (facilidade de idioma) ou no exterior ?

Vamos ao exemplo do meu caso: voo de retorno de viagem dos Estados Unidos, chegando no Galeão às 09:10 e conexão para o único voo direto após esse horário para Curitiba às 20:04. A primeira providência começa no dia anterior: a bagagem de mão precisa ser compatível com o clima do lugar. Depois de todos os procedimentos de chegada (aguardar bagagem, Receita Federal, trocar de terminal… sem contar a paradinha no dutyfree, no mínimo uma hora). Aí verificar com a companhia aérea, se é possível despachar as bagagens. Ok, feito! Passar no banheiro, colocar roupa apropriada para o clima do RJ e deixar a bagagem de mão no guarda volumes (Malex – 12 horas – R$ 25,00). Tem táxi no Rio até a zona sul? Tem, mas custará uma pequena fortuna. Então o ônibus executivo (R$ 14,00 com ar condicionado e wi-fi) cumpre bem a sua função e te deixa na zona sul em pouco mais de uma hora dependendo do trânsito.

Desci em Ipanema, uma voltinha para dar aquela respirada de cheiro de mar e almoçar com calma. Escolhi esse local pois dá p/ ir a pé até a lagoa. Poderia ter escolhido ir até o Pão de Açúcar ou ao Corcovado, mas já conhecia e o clima estava com uma névoa que não favoreceria muitas fotos.  Poderia dar uma volta em Copacabana também…  enfim, o Rio tem muitas opções bacanas e indico uma caminhada (pelas  praias da orla ou pela lagoa Rodrigo de Freitas) ou ainda alugar uma bicicleta que poderá ser devolvida em vários pontos da cidade para aproveitar o dia. (Sendo que a primeira hora é grátis e cada hora excedente custa  R$ 5,00. Ou pegar um passe de 5 reais o dia todo.Mais informações no site:http://www.mobilicidade.com.br/bikerio.asp)
3750e6_9b81596a48134474a0a55edf4db482e3-mv2

Depois de aproveitar um pouquinho, é hora de calcular o tempo de trânsito, pegar o ônibus de retorno para o aeroporto com uma boa margem de segurança, pegar a bagagem de mão no Malex, trocar a roupa novamente para não passar frio no vôo e chegar com tempo de segurança na sala de embarque.

4

Se quiser incluir um passeio assim na sua conexão, conselho de amiga: Você não vai conhecer uma cidade numa conexão, mas pode eleger algum atrativo, ou um restaurante para aproveitar melhor as suas horas e não ficar mofando no aeroporto.  Vai que você curte e tem mais uma história bacana para acrescentar no seu currículo de viagem?

Contato: anapaula@cadizturismo.com.br

Sobre o autor

* Cádiz Turismo. Agência de Viagens em Curitiba especializada em viagens personalizadas.

Deixe seu comentário

*

Fale Conosco

Não estamos online no momento. Mas você pode nos enviar um email que nós retornaremos em breve.

Perguntas, dúvidas ou reclamações? Eu adoraria ajudá-lo!

Clique ENTER para iniciar o chat